Etapas para evitar o caos em projetos corporativos

O ambiente de projetos é, naturalmente, suscetível ao caos. Basta não haver uma liderança efetiva focada constantemente em solucionar os problemas comuns a um ambiente de resistências e mudanças para que o caos se instaure.

As forças em questão que pavimentam o caminho para o caos nos projetos corporativos não são determinantes, mas sim, oriundas de fatores humanos. Interesses, personalidades e prioridades distintas que, quando não são orquestradas por uma liderança comum que aponte a direção e amenize as intempéries naturais do cenário, de fato, direcionam qualquer projeto corporativo à desordem e, por consequente, ao insucesso.

Mas se o caos já se instaurou, como reverter? Qual o cenário e suas variáveis?

Uma solução efetiva precede de uma boa investigação e análise do ambiente. Considerando o proposto, apresentamos cinco passos práticos e relevantes para encontrar uma luz para os projetos nesta situação de caos, que são:

 

1º passo: Investigue atenta e criticamente todas as variáveis que estão exercendo forças no projeto; contexto político, governança, aplicações financeiras e operacionais, o modelo organizacional, competências e características humanas dos envolvidos.

 

2º passo: Com base nas investigações feitas, desenvolva uma lista dos itens que estão trazendo interferências negativas ao sucesso do projeto e procure priorizá-los. Atente a considerar todas as camadas das questões que estejam trazendo ruídos ao projeto.

 

3º passo: Com o ranking da lista de itens em mãos, desenvolva uma proposta de ações que visem a recuperação efetiva dos itens. Aqui deve-se estar atento para que as ações de recuperação propostas aos itens específicos não desviem em momento algum do contexto geral dos objetivos finais do projeto.

 

4º passo: Valide se o responsável pela recuperação do projeto está realmente de acordo e comprometido em viabilizar o plano de recuperação proposto. Sem isto, de nada valerá qualquer esforço.

 

5º passo: Rode o plano de recuperação como um projeto paralelo, mas correlato ao projeto original. Nesta etapa, o importante é implementar as boas práticas do controle de um projeto, como reuniões de progresso com análise de resultados obtidos e comunicação clara aos envolvidos.

 

Fonte: goo.gl/uNZOpo

 

Compartilhe




Voltar